Adicionar aos favoritos Meus posts favoritos 18/09/2017

Para completar a sequência de posts sobre as minhas férias de julho, eu encerro com meu pit-stop de pouco mais de 24 horas em Roma, na Itália. Como Mykonos é relativamente longe do Brasil, para deixar a viagem de volta menos cansativa eu resolvi dormir uma noite em Roma. Eu escolhi Roma porque tinha um voo direto da empresa low cost italiana Blue Panorama. O voo é rápido (apenas 2 horas) então valeu a pena, pois ainda ganhei um dia numa das minhas cidades preferidas. Eu só queria descansar e comer bem – esse era o intuito da minha parada kkk.

Eu pousei no aeroporto de Fiumicino por volta das 14h e peguei um táxi até o meu hotel. O aeroporto de FCO fica afastado do centro histórico de Roma, mas eu tive sorte – peguei pouco trânsito! A minha ida levou cerca de 25/30 minutos e custou 48 Euros. Do aeroporto até o centro existe uma tarifa fixa, então será sempre esse valor. Uma comparação seria pegar um rádio táxi do aeroporto de Guarulhos para a zona sul de São Paulo. Eu escolhi me hospedar no Hotel D’Inghilterra por causa da sua excelente localização, no coração do centro histórico, perto dos Spanish Steps e da Via Condotti. Eu adoro ficar nessa região de Roma! O hotel possui cinco estrelas, mas ele não seria minha primeira opção – achei um pouco antiquado e escuro. No entanto, ele possui um bom custo-benefício, e como eu só passei uma noite, achei que valia a pena ficar lá.

Após fazer o check-in eu estava morta de fome e sonhando com uma bela massa, mas o problema é que em Roma é extremamente difícil achar um restaurante aberto às 15h, especialmente aos domingos! Geralmente, os únicos abertos são aqueles bem turísticos, então eu não tinha muito como fugir. O Concierge me indicou um restaurante pertinho do hotel chamado Life. Obviamente só tinha turistas kkk mas o meu prato estava muito bom! Eu pedi uma massa caseira: um “gnocchi con ragu di chianina”, uma receita clássica que nada mais é do que um molho bolonhesa feito utilizando uma raça de gado típica da Toscana – La Chianina, uma das mais antigas e mais importantes raças de gado na Itália. É o que eu sempre digo – essa é a beleza da Itália! Você come muito bem em qualquer canto ou buraco kkk!

Estava um calor do CÃO em Roma, como é de praxe em julho, então após o almoço resolvi voltar para o hotel e dar uma descansada no ar condicionado. Eu estava ansiosa para o meu jantar! No post Summer Diaries que escrevi de Roma eu listei os restaurantes e programas imperdíveis na cidade. Entre eles estava o Da Felice, conhecido por ter o melhor Cacio e Pepe da cidade! E olha, realmente é!! Situado em Testaccio, uma antiga zona operária, o Da Felice é simplesmente imperdível! Dica: reserve com antecedência! Eu deixei para reservar em cima da hora e estava tudo lotado já, mas dei sorte que estava sozinha e houve um cancelamento de última hora, então me ofereceram um lugar às 19h! Cedo né?! Só que eu não poderia deixar de ir!! Eu comi feito uma rainha hahaha! Como primo piatto, comi o famoso “tonnarelli cacio e pepe” que estava divino! O garçom prepara o prato na sua frente, é demais! O prato é extremamente simples, mas complexo ao mesmo tempo. O molho leva apenas dois ingredientes e mais nada: pecorino romano e pimenta do reino. Muitos restaurantes tentam “imitar” esse prato Itália afora, mas nunca é a mesma coisa! Acho que alguns lugares adicionam erroneamente mais ingredientes ao molho, mas o segredo está na massa fresca preparada com um determinado número de gemas de ovo, que a tornam tão especial. Eu nunca comi um bom igual! O meu jantar foi um verdadeiro #foodcoma! Eu ainda comi um secondo“fettine panate”, a vitela “à milanesa” dos Romanos! Espiem a finura da carne!! Tudo estava muito bom e sabe o que é melhor?! O preço! Toda essa comilança me custou apenas 27 Euros (fora o vinho e a água).

Não satisfeita, após o jantar eu ainda fui na Venchi, uma sorveteria super conhecida na Via del Corso. O Uber me deixou no hotel, mas eu resolvi caminhar para fazer digestão já que estava cedo, e acabei me deparando com essa perdição! Hahaha. Não resisti! A fila estava ENORME, fiquei literalmente meia hora na fila para conseguir pegar meu sorvete, mas valeu a pena! Peça pelo “cono gourmet”, escolha o sabor da casquinha, o sabor do sorvete e adicione a calda de chocolate!! É imperdível! Eu pedi a casquinha de caramelo e sorbet de manga – estava top!! Só de lembrar me deu fome! Kkk.

No dia seguinte, após hibernar por 14 horas (será que eu estava cansada?! Hahaha), eu fui bater perna nas redondezas antes do almoço. Como acordei tarde eu não tive muito tempo, mas consegui ver algumas lojas que gosto, como a Gente e a loja flagship da Fendi no novo Palazzo Fendi. É aqui que fica o hotel Palazzo Fendi e o badalado restaurante japonês Zuma! A loja é linda e dá vontade de comprar tudo hahaha um perigo! Aliás, todas as lojas de Roma são assim né?! Kkk. Eu queria muito ter jantando no Taverna Trilussa na noite anterior, mas o restaurante fecha aos domingos, então tentei almoçar lá, mas acabei descobrindo que o lugar só abre no jantar, então fica a dica! Ficou para a próxima, infelizmente! É bom demais!

Para inovar então, resolvi experimentar um restaurante que sempre ouvi falar muito bem – o Flavio al Velavevodetto. Situado no Testaccio também, basicamente, ele pertence ao ex-chefe do Da Felice, então não tem como a comida ser ruim né?! Super simples e rústico, o restaurante é ainda mais barato! Eu estava na missão dos quatro clássicos romanos (alla gricia, cacio e pepe, carbonara e amatriciana) então fui com a intenção de provar o “rigatoni alla carbonara” deles que é conhecido! Achei uma delícia, vale super a pena! As porções são enormes, então por 9 euros o prato, é um super custo-benefício! Entretanto, o local é um pouco fechado e escuro, então acho que deve ser mais simpático à noite para o jantar!

Antes de me despedir de Roma e ir para o aeroporto, eu não podia deixar de fazer duas coisas: jogar uma moedinha na Fontana di Trevi para voltar e comer o meu sorvete preferido no mundo todo logo ao lado! Kkk. Para variar, a Fontana di Trevi estava lotada de turistas, aquela aglomeração de pessoas, mas a fonte é sempre linda! Reza a lenda que se você jogar uma moeda de costas, você irá voltar para Roma. Isso já virou uma tradição pra mim kkk! Afinal, não custa garantir né?! Hahaha. Perto da Fontana, a algumas quadras no sentido do meu hotel, tem uma pequena sorveteria que vende, na minha opinião, o melhor sorvete do mundo! Desde que me conheço como gente e fui para a Itália pela primeira vez, eu me apaixonei pelo sabor “mela verde” (maçã verde), só que está cada vez mais difícil de encontrar! Esse é um dos lugares que eu sei que sempre tem, então vou direto! Eu acho simplesmente uma delícia! Quando eu morei em Firenze eu comia até no inverno hahaha! Eu sonho com ele e amei matar o meu desejo! Não existe ir para Itália e não comer um gelato né?!

Voltei a pé para o hotel e rapidamente fiz o check-out. Peguei um Uber para o aeroporto e foi tranquilo – demorei apenas 35 minutos. No entanto, sempre se programe para sair com uma hora de antecedência porque o trânsito as vezes é horrível! O aplicativo do Uber funciona super bem em Roma, mas as corridas são um pouco mais caras do que o táxi normal. Eu peguei um voo da Air Europa para Madri, aonde conectei direto para São Paulo! Finalmente kkk já estava com saudades da minha cama, do meu quarto, da comidinha caseira e da minha rotina!! Voltar de viagem também é bom! Não aguentava mais olhar para minha mala e aquelas mesmas roupas hahaha! Para finalizar, vou dar uma última dica: no Aeroporto de Madri existe um restaurante chamado Urban Grill que vende um hambúrguer premium de Wagyu absurdamente bom! O lugar é super despretensioso, mas recomendo muito, especialmente para quem detesta comida de avião! Hahaha.

Comentários

comentários

Related Posts

Voltar