Meus posts favoritos 22/12/2016

DAY 1

 

Cheguei super cedo em Paris e óbvio que meu quarto não estava pronto ainda! Me hospedei no pequeno e charmoso Hotel De Sers na Avenue Pierre 1er de Serbie, no 8ème arrondissement. Em termos de localização, imbatível! O hotel é praticamente vizinho de muro do Four Seasons na Avenue George V. Única coisa separando os dois é a loja do estilista libanês Elie Saab. Adoro essa localização, pois você está perto de tudo e pode andar para qualquer lugar. Adoro ficar em hotéis menores e boutiques em cidades grandes assim, e como eu estava sozinha, nada melhor. O hotel é bem moderno, mas ao mesmo tempo aconchegante. Ele une design com conforto! Adorei meu quarto, a cama era incrível e tinha bastante espaço! O banheiro também era todo revestido de mármore. O café da manhã é servido todo dia no simpático jardim de inverno, o hotel oferece Wi-Fi gratuito, e o room service funciona 24 horas (importante)! kkk Adorei o hotel, ficaria lá de novo sem dúvida.

 

 

Já que o hotel era vizinho do Four Seasons, a primeira coisa que fiz foi dar um pulo lá pra ver a famosa decoração de Natal do Jeff Leatham – lindíssimo como sempre!! Sem quarto, dia feio, tempo nublado e um domingo…única coisa que podia fazer então era ir em alguma loja de departamento! A grande maioria das lojas em Paris, incluindo algumas lojas de departamento, fecham aos domingos. A única aberta que me interessava era a Galleries Lafayette.

 

 

Mesmo estando em meados de novembro, a cidade toda já estava em clima natalino! A decoração e as vitrines de final de ano dentro da loja estavam lindas! Os bondinhos que você vê na foto abaixo se mexiam, muito fofo! Eu não estava muito afim de provar e comprar roupas, mas reparei que a loja estava com uma seleção bem boa, cheia de coisas legais e interessantes! Aliás, você sabia que as Galeries Lafayette abriram o maior departamento de sapatos feminios do mundo?! São mais de 150 marcos num espaço de 1500 m²! Não preciso nem dizer que é parada obrigatória de qualquer “shoeaholic”! hahaha

 

Tentamos almoçar no restaurante Ober Mamma mas acabamos desistindo da fila e comemos no Le Café Français. O Ober Mamma fica no 11ème arrondissement e está fazendo o maior sucesso, todo mundo que eu conheço que foi amou e recomenda muito! O truffle pasta deles é o carro chefe da casa, estava desejando, mas infelizmente ficou pra próxima. O Café Français pertence ao mesmo grupo dono do Costes então o cardápio é sempre aquele mesmo com algumas adaptações kkk. O restaurante fica na Place de la Bastille, o ambiente é simpático e bem descontraído, a ponto de parecer mais um café do que um restaurante. A comida estava boa, mas nada demais. Não recomendo, tem outros melhores! Não façam como eu – vão no Ober Mamma! hahaha

 

 

Bem gordinhos, após o almoço fomos comer mais! hahaha Ouvi dizer que os macarons da Carettte eram os melhores de Paris então tive que conferir (e realmente são)! O lugar estava LOTADO, pois era justamente a hora do chá da tarde num domingo chuvoso. Provamos vários macarons e outros docinhos e tudo estava uma delícia. Não deixem de ir. Fica na Place du Trocadéro e de quebra ainda tem uma vista linda da Torre! Depois de tanta comilança, resolvi voltar a pé pro hotel pra queimar tudo! kkk Aliás, isso é uma das coisas que mais amo fazer em Paris – caminhar. Gosto de sair andando sem rumo, descobrindo coisas novas, por horas e horas. Sinto muita falta de poder fazer isso em São Paulo, mas infelizmente as calçadas e a falta de segurança não permitem. Não tenho medo algum de caminhar sozinha na rua de noite em Paris, por exemplo. Me sinto super segura.

 

 

O primeiro jantar da viagem foi no deliciosooo e clássico L’Atelier de Joel Robuchon em Saint Germain! Que restaurante lindo!! Ao entrar e sentir os aromas é impossível não abrir o apetite! kkk O restaurante vive lotado mas infelizmente não aceita reservas, é por ordem de chegada mesmo, a não ser que você queira jantar às 18h30, o first seating deles. A segunda unidade, na Drugstore da Champs Elysées, aceita reservas mas é mais turístico então prefiro esperar um pouco se for preciso. Recomendo ir a dois e sentar no enorme balcão vermelho, mas se estiver em um grupo maior, você pode sentar em uma das poucas mesas. Comandado pelo renomado Chef Joel Robuchon, os pratos são de matar e tem opções para todos os gostos! Provamos um monte de pratos, entre eles o Le Gyoza, o Carbonara (que estava divino), o Le Burger  (com foie gras), e de sobremesa um soufflé de maracujá com abacaxi super levinho e delicioso, e o Chocolat Tentation, a sobremesa clássica da casa! Imperdível!

 

 

DAY 2

 

Acordei e fui correr às margens do Rio Sena! Que delícia, que visual juro! Tenho certeza que se eu morasse em Paris novamente eu viraria maratonista hahahaha não dá vontade de parar! O tempo estava nublado, mas não choveu, então é o que importa! Estava bem frio a semana toda por sinal. Depois da corrida, fui até o pé da Tour Eiffel para tirar umas fotos e depois parei na Carette (de novo kkk) para tomar café da manhã!

 

Passei o dia em St. Germain! O bairro é um charme e cheio de lojinhas legais, galerias de arte e livrarias. É também o paraíso das pâtisseries e confisseries! Aliás, se você gostar de lojas de design de móveis, esse é seu lugar! Não pense duas vezes!! kkk The Conran Shop e Habitat são excelentes lojas para objetos de decoração e casa. A Rue de la Renaissance não fica em St Germain, mas também tem várias lojas de design! Falando em design, fiquei encantada com a loja da Sonia Rykiel no Boulevard Saint Germain. Todas as paredes têm estantes cheias de livros! Muito cool!

 

 

Almoçamos no restaurante Ralph’s, do designer e estilista americano Ralph Lauren, dentro de sua boutique numa mansão em Saint Germain. O restaurante serve comida americana num ambiente chic porém aconchegante. Ele é super bem frequentado. A dica é comer o delicioso hambúrguer! Outras opções para o almoço no bairro são os restaurantes Le Bon Saint Pourçain (ganhador do prêmio de melhor bistrô em Paris em 2016) e o clássico Le Relais de Venise.

 

 

Se o ritmo de compras estiver intenso e você preferir um almoço rápido e leve, a melhor sugestão é comer um croque monsieur e uma saladinha verde como um autêntico parisiense no Café de Flore ou Les Deux Magots.  Para os aficionados do instagram hahaha Saint Germain é um bairro legal para tirar fotos, pois tem um monte daquelas portas grandonas e coloridas, cenários perfeitos! Procure as cores mais diferentes como vermelho e verde menta! 🙂

 

 

Depois do almoço fomos nas lojas da Assouline, na Rue Bonaparte, e da Taschen, na Rue de Buci, para comprar livros!! Eu coleciono vários, então sempre gosto de entrar e fuçar as novidades! A Assouline tem a grande vantagem que eles enviam os livros que você comprar diretamente pro Brasil, então não precisar carregar na mala! A Gagliani é outra loja legal de livros.

 


 

Pit-stop para macarons na loja da Ladurée na Rue Bonaparte!! hahaha

 

 

Alguns devem conhecer a marca francesa Pylones – no shopping Iguatemi, em São Paulo, tem um quiosque no andar térreo vendendo seus produtos.  Em Paris você encontra várias lojas espalhadas pela cidade, mas fui na da Saint Germain. É muito divertida! Cheio de cacarecos, gifts e utensílios coloridos. Vale conhecer!

 

 

O jantar foi no hotel Royal Monceau no novo Matsuhisa (aka – NOBU) que abriu seis meses atrás em Paris. Vocês sabem qual é a diferença entre os dois restaurantes?! Aprendi agora kkk basicamente, enquanto os restaurantes Matsuhisa são exclusivamente do Chef Nobuyuki “Nobu” Matsuhisa, a cadeia NOBU tem sócios, como o Robert de Niro, e tem outros investimentos, por exemplo, hotéis. Eu amo os dois e nunca deixo de ir. O cardápio sempre muda um pouco mas os clássicos continuam. Pedimos o de sempre – “spicy tuna crispy rice”, tartar de atum, Appletinis, “mochis” de sobremesa e também comi um frango com os molhos do Nobu (wasabi pepper, teriyaki e anticucho). Achei bom mas não estava sensacional igual costuma ser. P.S. – as lojinhas do hotel são ótimas! hahaha

 

 

DAY 3

 

No terceiro dia caminhei por toda aquela área em volta do Louvre, etc. Comecei nos jardins do Palais Royal. Sempre gosto de ir lá quando estou em Paris, não sei porquê! Acho divertido ver as pilastras pretas e brancas! Tem dois instalações da Yayoi Kusama lá no momento por sinal.

 

 

Não entrei no museu do Louvre dessa vez, mas passei na frente. Se você estiver por lá na hora do almoço, o Café Marly é uma ótima opção ou o restaurante Loulou ao ar livre, aberto somente durante o verão. Falando em museus, não sei vocês conhecem, mas existe um museu de cera em Paris tipo Madame Tussauds, só que bem mais cool! O modernoso Musée Grévin vale a visita se estiver com tempo!

 

 

Fiz um late lunch no hotel Costes, sempre um favorito, e depois fiz algumas comprinhas na Rue Saint-Honoré. O restaurante Le Castiglione fica na mesma rua e é outra opção excelente para o almoço. Fui na Maison Michel, minha adorada loja de chapéus, na 55 croisette, uma multimarcas bem legal com alguns designers diferentes, e na loja do Lucien Pellat Finet para ver as malhas (sou fã), entre outras. A Zara da Saint Honoré é bem top, e claro que não podia deixar de ir na Colette, a conceituada concept store de roupas de grandes grifes, objetos de design e tecnologia, para conferir as últimas novidades. Consigo passar horas dentro da loja! kkkk Ah, eu também gosto de fuçar a loja de design do Louvre na Rue de Rivoli 107!

 


 

Terminei o dia batendo perna pela Champs Elysées! Nessa época perto do Natal a cidade fica linda, toda iluminada! Eles montaram várias feirinhas pela Champs Elysées inteira chamadas “Les Villages de Noel“! Aqui você encontra de tudo – crepes, comidas típicas, quentão, decoração natalina e roupas e itens invernais tipo cachecol! Tudo bem iluminado e colorido com as luzinhas, com direito a patinação no gelo! Vale conferir!

 

 

Considerei jantar no Miss Ko, que fica do lado do hotel, na Avenue George V, mas desisti. Estava cansada demais!! Projetado por Philippe Starck, o restaurante serve comida asiática e o lugar é lindo! Decoração bem cool!! No meio tem um balcão grande comunitário bem bacana…então se alguém estiver viajando só, é uma boa opção para o jantar! Mas me rendi ao room service!! De vez em quando é bom! 🙂

 

 

DAY 4

 

O dia começou cedo com a aula de culinária na Ritz Escoffier no recém-aberto The Ritz na Place Vendôme. Para saber todos os detalhes do curso clique aqui! Terminado o curso, dei uma volta pelo hotel para conhecer, estava muito curiosa! O hotel continua chic e lindo, mas achei ele meio vazio! A nova galeria de lojas é legal e no final tem o “gift shop” do hotel vamos dizer…na verdade é uma concept store que pretende fazer várias parcerias bacanas com diferentes marcas. A primeira foi feita com a loja The Webster, multimarcas cool de Miami. Uma coleção especial de edição limitada foi criada e só estava a venda na “Le Concept” do Ritz! Bem exclusivo né?! Estou curiosa para saber quem será a próxima! Eu queria ter visto o Bar Hemingway mas estava tendo um evento fechado então não consegui!  Também não vi o novo SPA da Chanel.

 


Fiz um shopping depois do curso de culinária e fui no Musée D’Orsay, em frente à icônica Pont Neuf, a ponte mais antiga de Paris que liga a rive droite com a rive gauche. Eu particularmente adoro o M’O. Ele é conhecido como o museu dos impressionistas e contém muitas obras famosas de grandes artistas como Claude Monet, Paul Cézanne, Renoir, e Manet, entre outros. Lá estão também as famosas esculturas de Rodin, na Galeria das Esculturas. O museu é relativamente pequeno, e diferente do Louvre, você consegue percorrer ele inteiro em algumas horas. O charme todo mora na sua arquitetura – antes de ser transformado em museu, o edifício abrigou uma antiga estação de trem. A foto com o relógio no quinto e último andar é quase obrigatória. Para conseguir uma foto boa, sem gente no meio, tem que ter muita paciência e acertar no timing! Recomendo usar o modo “burst” que captura vários frames por segundo – alguma sempre sai boa! hahaha Meu almoço foi um sanduíche to go que comprei na saída do museu e fui comendo enquanto caminhava pelas margens do rio, em direção à minha ponte favorita de Paris, a Pont Alexandre III. Na minha opinião, é a mais linda!

 


 

Hoje foi dia de museu! Saí do M’O e caminhei até o Grand Palais aonde estava tendo duas exposições que eu queria ver – Mexique e Hergé. Antes fiz uma nova descoberta que alguns provavelmente já devem saber, mas já ouviram falar do Mini Palais?! kkkk É um bar e restaurante super legal, bem frequentado, situado dentro do Grand Palais. Tem um terraço incrível que fica especialmente bonito de noite. Lugar perfeito para almoçar ou então tomar um drink no final do dia. A exposição do Hergé homenageia o criador do desenho Tintin! Quem lembra?! Além de apresentar Tintin e o seu criador, a exposição prestigia muito a arte do desenho, com ênfase nos quadrinhos. É uma exposição legal para levar crianças.

 

 

Antes de voltar para o hotel passei na Montaigne Market, na Avenue Montaigne, para dar uma olhada. A loja é parada obrigatória das fashionistas e queridinha da Kim Kardashian. Ela reúne em um andar as novidades mais quentes da temporada – roupas, acessórios, etc. É um must! Outra loja que adoro é a By Terry, uma marca francesa de cosméticos. Atualmente tenho comprado a maioria da minha make aqui, adoro tudo! O protetor labial deles, o “baume de rose”, é divino! Tem uma loja perto do meu hotel. Outra que também vale dar uma olhada é a Scarlett Vintage na Rue de la Renaissance. Fica atrás do hotel Plaza Athenée, e mesmo sendo pequena, tem uma quantidade inacreditável de roupas, bolsas e acessórios vintages das melhores marcas. Se tiver paciência para garimpar com certeza vai fazer um grande achado!

 

Jantei no balcão do restaurante japonês Kunigawa. Eu adoro esse japa! O menu foi elaborado pelo ex chef do Nobu de Paris. Existem duas localizações, mas a melhor é na Rue du Mont Thabor.  Além do jantar, também é uma excelente opção para o almoço (peça o bento box) e aos domingos quando servem o “bento brunch”! Fui sozinha então sentei no sushi bar e pedi um “yellowtail hamachi”, meu amado “crispy rice”, e de sobremesa, “mochis” de manga. Tudo estava uma delícia. Recomendo! Saí do restaurante na hora certa – consegui ver a Torre toda acesa e brilhando! Ela brilha de hora em hora, à noite, por um período de cinco minutos e depois desliga. Não me canso de ver e admirar 🙂

 

Comentários

comentários

Related Posts

Voltar