Meus posts favoritos 12/04/2019

Se você for amante da natureza, você não pode deixar de conhecer Foz do Iguaçu, ou mais especificamente, o Parque Nacional do Iguaçu. Além de patrimônio da humanidade, o parque é considerado área de proteção ambiental e já foi eleito como uma das 7 maravilhas naturais do mundo. Junto com Victoria Falls e Niagara Falls, as Cataratas do Iguaçu deveriam estar (se ainda não estão) na sua #bucketlist – são as três maiores cachoeiras do mundo! Essa foi a minha segunda vez em Foz de Iguaçu. Eu já tinha ido quando era menor, mas fazia tanto tempo que mal lembrava, então foi muito legal voltar. A verdade é que todos deveriam ir pelo menos uma vez. De São Paulo é super perto – apenas 1h30 de voo, então vale a pena! Nem que seja só por um final de semana, como foi o meu caso. Estou tentando me manter fiel à minha promessa de viajar mais pelo Brasil em 2019! So far, so good! Kkk.

Situado no Paraná, o Parque Nacional do Iguaçu é a constatação pura e simples da imensidão da natureza. Um dos mais belos espetáculos da natureza na Terra, é impossível não se sentir pequeno em meio a um volume de água tão intenso, ou sentir um frescor de liberdade ao ser molhado pelas gotículas das cachoeiras. É bastante comum ver turistas estrangeiros por todas as partes. No nosso hotel praticamente só tinha gringo! Já que temos algo assim tão bonito no Brasil, não podemos deixar de conhecer concorda?! Uma viagem para Foz terá paisagens inesquecíveis, espécies raras de animais e muito verde garantido!

Além disso, visitar Foz do Iguaçu também tem o benefício de poder visitar outros dois países que fazem fronteira com o Brasil: Paraguai e Argentina, tudo isso num curto período de tempo! Ciudad do Leste, no Paraguai, é o paraíso das compras, enquanto Porto Iguazú, no lado Argentino, é o lugar perfeito para jantar uma boa carne, além de ter o Parque Iguazú, a sua grande atração, que detém a maior parte das quedas que se formam nas águas do rio Iguaçu.

QUANDO IR

A resposta é simples: quando você quiser e puder. Na época de chuvas (primavera e verão) a vazão de água das cataratas é maior, e o volume das águas impressiona. Em compensação, é bom se preparar para encarar o sol forte enquanto caminha pelas trilhas. Já na época mais seca (outono e inverno) algumas quedas d’água podem estar mais “secas”, mas isso ajuda a ver um pouco melhor a água caindo sem aquela “nuvem” gigante de água que se forma ao redor. Essa nuvem acaba embaçando bem o visual, então pode ser uma boa época para ir! Mas eu sinceramente acho que não tem época ruim!

QUANTO TEMPO FICAR

Depende! Se você quer ver só o lado brasileiro, dois dias inteiros já são suficientes para dar conta do básico. Eu cheguei quinta-feira no início da tarde e fui embora sábado na hora do almoço. Foi corrido, não tivemos tempo para curtir muito o Spa e a piscina do hotel, acordamos cedo, mas demos conta de quase tudo. No entanto, sentimos que faltou o lado argentino e também não tivemos tempo de fazer compras no Paraguai. Por isso é tudo relativo. Eu acho que 4 noites seria o ideal e ainda dividiria a minha estadia em duas partes: 2 noites no lado brasileiro e 2 noites no lado argentino!

ONDE SE HOSPEDAR

No lado brasileiro, sem dúvida alguma eu me hospedaria no Belmond Hotel das Cataratas, com o budget permitindo. Ele é o único hotel dentro do Parque Nacional do Iguaçu então com isso você ganha algumas vantagens. Primeiro porque além de ser lindo, todo rosa claro em estilo colonial, ele fica exatamente de frente para as espetaculares cataratas, então localização melhor é impossível! Hóspedes do hotel têm acesso às cataratas antes do parque abrir para o público e depois dele fechar, proporcionando momentos lindos no nascer e pôr do sol. Sem falar na muvuca que você evita né?! Não tivemos tempo de fazer tudo, mas o hotel também oferece alguns passeios exclusivos como a caminhada ao nascer do sol em parceria com a Leica Sport Optics, feito com um guia e fotógrafo especializados, e o passeio noturno da lua cheia. Outras mordomias incluem traslado para todos os passeios feitos dentro do parque, como o Macuco Safari. Todos os passeios que fizemos saíram do lobby do hotel. Além do mais, é possível pagar tudo pelo hotel, debitando a conta do seu quarto – prático! O concierge do hotel é super prestativo e organizou tudo para a gente. Em termos de instalações, o hotel oferece ainda uma belíssima piscina ao ar livre e um SPA. Como minha viagem foi meio corrida, não consegui relaxar à beira da piscina, mas confesso que ela estava bem convidativa, então vale a pena passar uma manhã ou tarde curtindo ela! O hotel oferece também bicicletas para passear dentro do Parque. Fizemos quase todas as refeições dentro do próprio hotel, exceto o jantar na primeira noite. No primeiro dia seguimos a recomendação do concierge e fomos jantar no restaurante italiano Bona Trattoria na cidade de Foz. Estava tudo muito bom, adoramos! Recomendo! No entanto, eu diria que esse é o único lado negativo de se hospedar no Belmond – tudo fica um pouco longe, pois como você está dentro do Parque, é preciso sair dele e isso leva pelo menos uns 20/25 minutos porque tem que respeitar o limite de velocidade…então não dá pra ficar jantando fora, demora muito…mas mesmo assim, vale super a pena ficar no hotel.

Outro hotel que eu descobri tarde demais e quero recomendar é o Awasi Iguazú. Esse é o mesmo que tem no Deserto do Atacama. Pertencente à marca de hotéis Relais & Châteaux, o exclusivo e pequeno hotel fica no lado argentino. Por isso, acho que seria super bacana fazer a combinação que mencionei acima de duas noites no Belmond e depois duas noites no Awasi. É o que eu faria se fosse de novo! Localizado a apenas 20 minutos das cataratas, o Awasi está situado às margens do Rio Iguaçu, cercado pela Mata Atlântica. Intimista e romântico, conta com apenas 14 quartos! Construído sobre palafitas, cada villa possui 100 m², todas com vistas do rio e da selva. Oferecem uma ampla sala de estar, decks com espreguiçadeiras e piscina privativa. A cada quarto também é atribuído um guia privado e um veículo 4X4, permitindo aos hóspedes explorar no seu próprio ritmo, visitando onde eles querem, em seu próprio tempo. Com regime all inclusive, todas as refeições e excursões com guias privativo estão incluídos na tarifa. Parece BEM MARA! Kkk.

O QUE FAZER

PARQUE NACIONAL DO IGUAÇU: O parque faz fronteira com o território argentino e fica localizado ao extremo oeste do Paraná. São aproximadamente 185 mil hectares no lado brasileiro. Considerado Patrimônio Natural da Humanidade, o Parque Nacional do Iguaçu foi criado em 1939, cinco anos depois do argentino. Dentro do parque é possível fazer várias atividades, mas a grande atração são as Cataratas formadas pelo Rio Iguaçu. A 18 km da junção com o Rio Paraná, o rio vence um desnível que se precipita em aproximadamente 275 quedas com alturas variando de 60 a 82 metros de altura, e numa largura de 2.700 metros. É muito impressionante! Do lado brasileiro há uma trilha que passa por vários mirantes e passarelas construídas para levar você mais perto das cachoeiras. Prepare-se para ficar molhado! Não tem como não ficar! Kkk. É muito bonito. Essa trilha pode ser feito tranquilamente em aproximadamente 1h30.

PARQUE NACIONAL IGUAZÚ: Este é o parque do lado argentino. Eu recebi inúmeras mensagens de pessoas falando para não deixar de visitar o lado argentino, que é ainda mais bonito e impressionante que o brasileiro, mas como eu não fui, eu realmente não posso opinar nesse sentido. Eu queria muito ter ido, então vou incluir aqui como um passeio imperdível! A visita ao Parque Iguazú consiste, basicamente, em uma caminhada de cerca de 6 km dividida em três trilhas diferentes: Circuito Inferior (passeio ao lado das quedas d’água), Circuito Superior (sequência de quedas d’água vista de cima) e Garganta do Diabo (plataforma da onde se pode ver de cima a maior e mais volumosa queda d’água dos parques). Todas as três são consideradas fáceis e podem ser feitos no mesmo dia. Acho que vale chegar cedo, assim que o parque abrir, para evitar filas e multidões.

PARQUE DAS AVES: É um passeio simpático que vale a pena fazer se você tiver tempo. O local fica bem antes da entrada para o Parque Nacional do Iguazú e basicamente o nome diz tudo! Kkk. Criado em 1994 com a proposta de ser um centro de recuperação e preservação de aves, aqui é possível conhecer os viveiros de aves tropicais raras e coloridas como araras, periquitos, flamingos e tucanos! Tem até uma ave pré-histórica bem exótica! Kkk. Com uma área de 17 hectares de mata nativa, conta ainda com um borboletário e viveiro de beija-flores, e um setor de reptéis com cobras e jacarés. Atualmente, o parque tem mais de 1000 aves de 140 espécies. Aqui você encontra o maior viveiro de Araras do mundo – é muito bonito e foi a minha parte favorita! Eu também amei os tucanos. Não diria que é imperdível. O passeio em versão “the flash” leva no mínimo 1 hora.

MACUCO SAFARI: Esse sim é um passeio imperdível! Dentro do próprio Parque Nacional do Iguaçu, o Macuco Safari nada mais é do que um passeio de barco nas quedas das Cataratas. Existem duas opções: o passeio seco ou o molhado. Aproveite o calor do fim de tarde e faça o passeio molhado. Não dá medo, é uma adrenalina divertida. O barco literalmente entra embaixo de uma das quedas, lavando a sua alma com as águas refrescantes das Cataratas. Dependendo do volume de água caindo, a queda mais parece uma surra de cachoeira! Hahahaha. Mas é muito refrescante e vale super a pena. Durante o passeio a tripulação do bote filma e tira fotos que você depois pode conferir e comprar se quiser. O passeio é relativamente rápido. Caso queira, existe a opção de fazer um passeio privativo. O preço é um pouco salgado, mas achei o passeio mais legal de todos. Do lado argentino das Cataratas é possível fazer um passeio de aventura bem parecido, mas parece que está temporariamente fechado!

TRILHA DO POÇO PRETO: Localizado dentro do Parque Nacional do Iguaçu, a trilha de 9 km abriga diversas espécies de plantas exóticas e animais silvestres. Na verdade, só vimos macacos e uma espécie de mini capivara, mas a trilha é bonita e bem verde. Fizemos ela logo pela manhã, pois o passeio leva cerca de 4 horas. A trilha pode ser feita a pé, de bicicleta ou em um veículo elétrico. Nós fizemos os primeiros 2 km de bicicleta e depois o restante a pé. A ideia era fazer a pé para poder tirar fotos e apreciar a natureza, mas como mencionei, não vimos muitos animais silvestres e a trilha é muito igual o caminho inteiro, então talvez seja melhor fazer ela inteira de bike. Além de ser mais rápido, claro. Não recomendaria fazê-la de veículo elétrico – acho que perde a graça. Todo o passeio é feito com um guia especializado. Ao final da trilha você retorna uma parte de barco pelas corredeiras e é possível fazer também um trecho de kayak. Esse trecho é bem curtinho, então não requer muito esforço. Nós fizemos, valeu.

CACHOEIRISMO: A empresa do Macuco Safari oferece também os passeios de rafting e o cachoeirismo. Ambos são complementos do Macuco Safari, passeio executado a mais de 30 anos nas Cataratas do Iguaçu. No local, você recebe uma rápida aula de instruções após colocar todos os equipamentos de segurança, como capacete, mosquetão de escalada e macaquinho, para descer a cachoeira de 20 metros. Fizemos o cachoeirismo logo após o passeio de barco – foi bom porque você já está molhado e vai se molhar de novo! Hahaha. O rapel é relativamente rápido e nesse local ele é negativo e positivo. Se você não tiver medo de altura, pode fazer! Como vocês podem ver, eu me mantive ocupada e tentei fazer o máximo de atividades possível durante os dois dias! Hahaha.

OUTROS PASSEIOS: Outros passeios possíveis incluem o rafting oferecido pelo Macuco Safari e o passeio de helicóptero, que é uma alternativa para explorar ainda mais todos os detalhes das Cataratas observando do alto. No entanto, esse passeio não nos interessou muito. Ele dura apenas 10 minutos e custa em torno de R$ 200. Muita gente também gosta de visitar o Marco das 3 Fronteiras, que é o ponto onde Brasil, Argentina e Paraguai fazem fronteira comum e estabeleceram seus limites territoriais construindo obeliscos, cada um com um formato diferente e pintado com as cores do respectivo país. Não me pareceu tão interessante, mas de novo, se você estiver com tempo, porque não?!

COMPRAS

Depois das Cataratas, o outro grande atrativo de visitar Foz parece ser fazer compras na Argentina e no Paraguai! Kkk. Eu não fui para nenhum dos dois, mas me recomendaram o Duty Free de Puerto Iguazú, na Argentina. Falaram que é mais bonito e melhor do que o do Paraguai. Já em Ciudad do Leste, os baixos impostos cobrados no Paraguai em relação ao Brasil fazem com que muita gente vá em busca de boas ofertas. No entanto, a procedência pode ser bem duvidosa, por isso é muito importante escolher bem onde comprar. Eu recomendo a loja SAX Department Store e o shopping Monalisa. Pioneira na América Latina, a SAX é considerada a maior loja de luxo do Paraguai. São 17 mil m² distribuídos em 11 pisos!! Ambas as lojas oferecem uma grande variedade de produtos importados de renomadas marcas internacionais e dado os seus tamanhos, dá para passar um dia inteiro fazendo compras pelo visto! Hahaha.

O QUE LEVAR

Se você tem a intenção de conhecer um pouco de Argentina e/ou Paraguai, não se esqueça de estar com seu RG ou passaporte original válido. Estes documentos são solicitados a todos que querem passar pela fronteira. Isso inclui também autorização para viagem internacional para menores de idade se um dos pais ou ambos não estiverem presentes.

Para os Parques das Cataratas, sugiro usar roupas leves, sapatos confortáveis, protetor solar e repelente. Outro item útil é capa de chuva. Se você não tiver uma, não se preocupe, pois as capas também podem ser compradas na entrada do parque ou nas lojinhas de souvenir. Hóspedes do Belmond podem pedir uma na recepção gratuitamente. Para o Macuco Safari, leve roupas que sequem rápido como roupas de ginástica dri-fit, roupas de banho para vestir por baixo (bikini, maiô, etc), uma câmera GoPro (se você tiver) ou um celular à prova d’água, havaianas e uma toalha. Novamente, hóspedes do Belmond não precisam se preocupar com toalhas – na saída para o passeio eles entregam uma sacolinha do hotel com capa de chuva e toalha dentro para cada hóspede.

Comentários

comentários

Related Posts

Voltar